Todas as unidades do Residencial Porto Belvedere já foram vendidas. Foto: Jonathan Campos/AEN

Em Ponta Grossa, governador entrega 454 casas e destaca trabalho intenso pela habitação

(AE NOTÍCIAS)

Residencial Porto Belvedere vai beneficiar 1,8 mil pessoas na região. Casas têm 50 ou 57 metros quadrados em terrenos de até 152 metros quadrados. O financiamento é viabilizado pela Caixa Econômica Federal pelo programa Casa Verde e Amarela

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta sexta-feira (30) 454 habitações do programa federal Casa Verde e Amarela em Ponta Grossa, nos Campos Gerais. O Residencial Porto Belvedere beneficia 1,8 mil pessoas na região.

Cada casa tem valor de cerca de R$ 142 mil, com financiamento viabilizado pela Caixa Econômica Federal e execução das obras pela Rottas Construtora e Incorporadora. O investimento por parte da empresa foi de R$ 50 milhões. Todas as unidades já foram vendidas.

“É feliz estar na entrega dessas casas para 450 famílias de Ponta Grossa. Essa é uma cidade que cresce muito, então habitação é uma preocupação do Governo do Estado, que tem outros investimentos na região. E aqui é um condomínio muito bem feito, é uma inovação na construção da casa própria, além de ser acessível. Vemos um bairro organizado e moderno, como nos países de primeiro mundo”, afirmou o governador.

Localizado no Jardim Carvalho, o conjunto habitacional é formado por casas de 50 e 57 metros quadrados em terrenos de até 152 metros quadrados. Com dois ou três quartos, a planta também inclui sala de estar, cozinha, área de serviço, um banheiro e uma vaga de garagem.

O condomínio é equipado com salão gourmet, salão de festas, sala de jogos, brinquedoteca, redário, quiosques com churrasqueira, piscina, academia, parques infantis, mirante, trilha no bosque, quadra poliesportiva e de areia.

A infraestrutura atraiu o olhar da agente de saúde Marcia Correia, moradora de Ponta Grossa há mais de 20 anos. Sua primeira tentativa de financiamento foi recusada, mas ela não desistiu. “Desde o começo eu decidi que queria morar aqui. É perto do trabalho e da escola das crianças, vi o projeto e vi que iria ficar muito lindo. Na segunda vez que tentei deu certo e eu dei pulos de alegria”, contou.

Marcia pegou as chaves de sua casa durante o evento e em breve vai se mudar junto de seus três filhos. “Pra mim, saber que estou saindo do aluguel e pagando a minha casa, não tem felicidade maior, não tenho nem palavras”, complementa. Durante o evento, outras dez famílias receberam as chaves da casa própria do governador Ratinho Junior.

HABITAÇÃO – A prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Schmidt, comemorou a entrega desse novo condomínio. “Olhando nos olhos deles, eu me emocionei, porque já vivi o primeiro dia na minha primeira casa. E essa sensação ninguém sente até ter a chave na mão”, contou.

“Esse tipo de empreendimento gera desenvolvimento econômico muito grande, com muitos empregos na construção dessas casas. Mas, hoje, o que vemos é também o desenvolvimento social: pessoas felizes em ter um espaço extraordinário. A qualidade de vida que eles terão será magnífica”, acrescentou.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, reforçou a intenção de que a instituição seja o banco da habitação dos brasileiros. “Nesse programa, a parcela do crédito imobiliário mensal é menor do que o aluguel, o que faz todo sentido. É uma faixa da população que não tem condição de realizar essa compra sem o subsídio da parcela inicial. Além disso, a qualidade das construções é muito superior”, endossou.

CASA VERDE E AMARELA E CASA FÁCIL – Realizado pelo governo federal, o programa Casa Verde e Amarela promove financiamento de moradias a famílias residentes em áreas urbanas com renda mensal de até R$ 7 mil através da Caixa Econômica Federal. A partir da habitação digna, a iniciativa visa estimular o desenvolvimento econômico, a geração de emprego e renda e uma melhora na qualidade de vida da população que vive nas cidades.

Novos condomínios do programa federal também poderão ser elegíveis para a nova modalidade do programa Casa Fácil Paraná, lançado pelo Governo do Estado em maio. Com a iniciativa, o Estado libera R$ 450 milhões do tesouro estadual para viabilizar o valor de entrada em um imóvel próprio para famílias com renda de até três salários mínimos nacionais.

Podem ser destinados até R$ 15 mil por família. O projeto tem o objetivo de diminuir em 10% o déficit habitacional no Estado, que atualmente é de 322 mil moradias, segundo pesquisa realizada pela Cohapar.

“Esse é o maior programa de habitação do Brasil: são 30 mil casas que já estão em construção e que terão seu valor de entrada financiado pelo Estado, ajudando as famílias a conquistar o financiamento do sonho da casa própria”, complementou o governador.

HABITAÇÃO EM PONTA GROSSA – Além disso, Ponta Grossa também recebeu outros investimentos em habitação por parte do Governo do Estado. Parte do programa Viver Mais, destinado a idosos, o Residencial Parque dos Sabiás tem investimento de R$ 3,2 milhões e entregará 40 moradias. Outro empreendimento é o Residencial Pimentel, que destina R$ 1,6 milhão a 19 moradias, financiadas com condições facilitadas pela Cohapar.

A cidade ainda vai receber mais 408 moradias em um novo bairro planejado por meio do programa Casa Verde e Amarela. O Residencial Bem Viver Uvaranas, que conta com a participação do Governo do Estado, foi idealizado pela construtora Pacaembu e receberá R$ 60 milhões de investimentos do FGTS, financiados pela Caixa Econômica.

PRESENÇAS – Compareceram ao evento o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero; o presidente da Sanepar, Cláudio Stábile; o presidente da Cohapar, Jorge Lange; o superintendente geral de Inovação, Marcelo Rangel; o coordenador de Assuntos Políticos da Casa Civil, Rodrigo Pina; o diretor administrativo e financeiro do Paranacidade, Elizeu Chociai; o Diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná, Fernando Furiatti; o CEO da Rottas Construtora e Incorporadora, Paulo Rafael Folador; a deputada federal Aline Sleutjes; o deputado estadual Alexandre Amaro; o vice-prefeito de Ponta Grossa, Saulo Vinícius Hladyszwski; o vice-presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa, Felipe Chociai; o vereador Cassiano Rodrigues; e o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, José Carlos Martins.