Uma árvore e os frutos

Paraná é o segundo maior produtor de noz pecã e São José das Palmeiras cultiva em 10 hectares

O Paraná é o segundo maior produtor de noz-pecã do Brasil, só perdendo para o Rio Grande do Sul. São cerca de 700 hectares de área plantada, em constante aumento. Grande parte dos municípios paranaenses dedicam alguns dos seus hectares para o cultivo da árvore originária da América do Norte .

Só para citar um exemplo, São José das Palmeiras, que tem cerca de 50% do seu território ocupado por pastagens – grande produção leiteira -, dedica, segundo o Ipardes, 10 hectares para a noz.

O Paraná colhe mais de 5 mil toneladas por ano.

A Emater (agora IDR) estimula a cultura, que pode complementar outras, como arroz, soja, feijão, batata, amendoim, mandioca.

A nogueira-pecã encontrou uma boa morada em terras paranaenses por causa do clima. Segundo a Embrapa, a árvore se adapta com facilidade à região de clima temperado e subtropical de altitude que apresentem um regime de frio adequado, que assegure uma boa brotação e floração. A temperatura média ideal é de 20 ºC – ambientes mais quentes podem queimar o fruto.

SAÚDE

A noz-pecã é consumida in natura ou utilizada em saladas, sobremesas, tortas, farinhas e até iogurtes. Mas, além de bom para o paladar, o fruto também traz benefícios à saúde. Pesquisa publicada pela revista Nutrients mostra que o consumo de um punhado por dia do fruto é bom também para o coração. Isso porque ele é rico em ômega 3, considerado uma gordura saudável, e tem grande quantidade de nutrientes.