Goioerê acolhe venezuelanos com respeito e boas vindas

Texto da Prefeitura de Goioerê

Uma manhã histórica desta sexta-feira, dia 31, para a cidade de Goioerê com o acolhimento e chegada das famílias de venezuelanos refugiadas, um total de 60 pessoas, com uma média de idade de 29 anos, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos. O prefeito Pedro Coelho e a secretária de assistência social Simone Coelho, e demais secretários municipais, estiveram pessoalmente recebendo as famílias e desejando as boas vindas ao município de Goioerê, e colocando a disposição todos os serviços públicos ofertados à população.

A integração dos venezuelanos a realidade brasileira e com a própria cidade contará com a coordenação das Aldeias SOS, a Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), MDS – Ministério do Desenvolvimento Social e a prefeitura do município. Dentro do projeto, estão previstos atendimentos com assistentes sociais, educadores, alimentação, moradia, luz, água, vestuário e uma pequena ajuda financeira por meia de uma bolsa, e os serviços municipais como educação, cultura, esporte e saúde, os venezuelanos receberão o mesmo tratamento dado aos goioerenses comum, sem nenhum tipo de privilégio a parte.

O projeto Brasil sem Fronteiras para acolhimento aos refugiados da Venezuela terá um prazo inicial de 03 meses, sendo entendido para 6 meses, e ao término deste prazo será feita uma avaliação da adaptação de cada família ao município de Goioerê, e dentro deste período as famílias terão livre arbítrio para morar em outro local e buscar trabalho e independência financeira, recomeçando suas vidas em um novo país, ou até mesmo retornando ao país de origem.

O casal de venezuelanos Joel Alonzo, 39 anos, e Michele Vargas, 25, chegaram com mais 03 filhos, de 02, 04 e 06 anos, e falaram em nome dos demais compatriotas, agradecendo ao calor humano que tiveram ao desembarcar em Goioerê, destacando também o trabalho da Aldeia SOS, da Acnur, MDS, e a prefeitura de Goioerê em nome do prefeito Pedro Coelho e primeira dama Simone Coelho, pelo acolhimento e toda a atenção disponibilizada com as famílias venezuelanas, estando imensamente gratos pela ação humana e generosa.

Locais de trabalho

Além de lojas e prestadores de serviços, Goioerê sedia filiais de cooperativas agroindustriais, tem indústrias relacionadas a tecelagem, desenvolvimento de sistemas para automação, amidos. Lembrando ainda que está em construção, pela Frimesa, em Assis Chateaubriand (que fica a 70 km), o maior frigorífico de suínos da América Latina, que terá capacidade de abate de 15 mil cabeças por dia, com uma área construída de 141 mil m2. Goioerê significa, na língua caingangue, “água clara”. O município foi criado em 10 de agosto de 1955, desmembrado de Campo Mourão.