Portonave chega aos 13 anos com o brilho da tecnologia e do trabalho de seus colaboradores

O dia 21 de outubro de 2020 marca a passagem dos 13 anos de existência da Portonave, em Navegantes. O terminal responde por 44% de toda carga de contêineres operada pelos portos de Santa Catarina. Em 13 anos já movimentou mais de 8,3 milhões de TEUs e recebeu mais de 6,9 mil escalas de navios. E emprega diretamente cerca de 1 mil profissionais. 

É o mais potente motor de desenvolvimento econômico e social de Navegantes. Em 2004, um ano antes do terminal chegar, o Fundo de Participação dos Municípios, ali, foi de R$ 4,9 milhões. Em 2005, quando iniciou-se a construção, esse valor subiu para R$ 6,7 milhões. Depois, foi crescendo ano a ano, chegando em 2019 ao patamar de R$ 45 milhões. Além disso, a Portonave investe em projetos e ações que contribuem com o crescimento do município, promovendo inclusão social e cultural.

Desenvolvimento

A Portonave iniciou suas operações em 21 de outubro de 2007 como o primeiro terminal privado de contêineres do país. A empresa atua no escoamento da produção das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil e de outros países da América do Sul e no recebimento de cargas de todo o mundo.

Em constante movimento de ampliação e modernidade, o terminal marítimo navegantino acabou de adquirir 25 novas Terminals Tractors – carretas reforçadas exclusivas para a movimentação de contêineres dentro do porto -, além de duas empilhadeiras movidas a bateria de lítio. Foram R$ 16,6 milhões aplicados nas compras.

Reconhecida internacionalmente pela qualidade na prestação de serviços e pela alta produtividade, a Companhia tem como premissa o compromisso com a excelência e promoção do desenvolvimento sustentável.

Como um importante diferencial competitivo, a Portonave possui uma câmara frigorífica – a Iceport – totalmente automatizada, com seis transelevadores, e capacidade estática de 16 mil posições pallets. Além de uma antecâmara com 13 docas para o recebimento das cargas. Ao todo são 50 mil m² de área para armazenagem.

Atualmente, a Portonave possui área total de 400 mil m², sendo cerca de 360 mil m² de área alfandegada, dividida em três berços de atracação, em um cais linear de 900m, com capacidade estática de armazenagem de 30 mil TEUs (unidade de medida equivalente a um contêiner de 20 pés).

A posição de destaque é assegurada pela infraestrutura do Terminal: seis Portêineres, 18 Transtêineres, 40 Terminal Tractors, cinco empilhadeiras Reach Stacker e quatro empilhadeiras para vazios, dois scanners e 2,1 mil tomadas reefers estão entre os diferenciais oferecidos pela Portonave.

Expertise: até caças da FAB

A Portonave recebeu uma carga muito especial em setembro: o primeiro caça Gripen da FAB. O Terminal mobilizou sua equipe para receber da melhor forma, com eficiência e segurança, o equipamento militar. As tratativas duraram cerca de um ano e a escolha do Porto levou em conta sua infraestrutura e a proximidade com o Aeroporto de Navegantes – que fica cerca de dois quilômetros.

O protótipo, de cerca de 15 metros de comprimento e 8 metros de largura, foi transportado inteiro, no porão do navio, da Suécia ao Brasil. A aeronave desembarcou no porto no dia 20 de setembro e, após o desembaraço aduaneiro, foi conduzida pela equipe da Portonave, FAB e da fabricante sueca – Saab – até o Aeroporto de Navegantes. O caça fez o trajeto entre o porto e o aeroporto de madrugada passando pelas ruas de Navegantes puxado por um trator especial. Ele passa agora por testes no país, conforme requisitos do projeto e especificações da FAB.