BC Port obtém licença ambiental prévia para empreendimento náutico e turístico

Perspectiva do empreendimento

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina – IMA – emitiu no dia 20 de dezembro de 2018, a licença ambiental prévia para o empreendimento BC Port, de Balneário Camboriú. O projeto da empresa Ports Developed By Shiphandlers – PDBS – tem investimento previsto de R$ 320 milhões, sendo 2% do total – equivalente a R$ 7 milhões – destinados a medidas de compensação ambiental.

Este é mais um passo dado para a validação do empreendimento náutico e turístico, que tem cumprido todas as etapas do longo processo de licenciamento e atendido solicitações de informações complementares pelo órgão ambiental. O BC Port também já conta com aprovação da Agência Nacional de Transportes Acquaviários – ANTAq -, agência nacional reguladora para o setor.

O BC Port desponta como alternativa para se tornar a primeira Instalação Portuária de Turismo – IPTur – Plena do país, tentando suprir essa demanda do mercado brasileiro de turismo náutico. No complexo, estão previstas lojas, restaurantes e hotel, com a expectativa de que toda sua estrutura se mantenha em funcionamento mesmo fora da temporada, atendendo assim as demandas do setor turístico da cidade e da região. O empreendimento também estabeleceu priorizar mão de obra local, a fim de movimentar a economia local com a previsão de gerar mais de seis mil empregos diretos e indiretos.

Pelo projeto, o BC Port terá capacidade para receber simultaneamente até dois navios com 5,8 mil passageiros cada, com 362 metros de comprimento e 60 de largura. De acordo com os empreendedores da PDBS, estima-se que após sua implementação, o cruzeiro marítimo saindo das instalações do terminal será 30% mais econômico se comparado com Santos. Os custos operacionais da estrutura serão bastante reduzidos, visto que o entorno do empreendimento viabiliza o transporte de mercadorias, insumos, combustíveis e passageiros pelo rio Camboriú, descartando o uso de veículos terrestres.

“A obtenção de mais esta licença junto ao IMA nos leva, inevitavelmente, a agradecer a sociedade civil organizada de Balneário Camboriú e Camboriú, pelo apoio ao empreendimento”, destaca o CEO da PDBS, André Guimarães.

Um projeto que pode recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento marítimo nacional, proporcionando rotas estratégicas para as empresas estrangeiras e também para o mercado nacional, que respira após uma longa crise política e a expectativa de um novo governo federal.