FOTO – DIVULGAÇÃO

Com Parque Tecnológico, Paranavaí caminha para ser pólo econômico na área alimentícia

(PREFEITURA DE PARANAVAÍ)

O município de Paranavaí coordenou na última semana uma reunião para retorno das atividades do Parque Tecnológico Agro+i. O encontro serviu para retomada dos trabalhos e recomposição do comitê que trabalha de forma efetiva para o parque.

“Tivemos diversos avanços, praticamente cumprindo a primeira parte do projeto, já que o parque tem três grandes fases e execução de aproximadamente 20 anos. A primeira fase, que continha a organização e instituição do parque, já foi cumprida”, ressalta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Emanuel.

A primeira ação da nova fase de trabalho é a formulação de uma carta consulta que será enviada para os ministérios e empresas privadas para conseguir recursos a serem investidos no parque. O comitê vai aprovar os termos da carta consulta que está sendo elaborada pelo Sabrae. A expectativa é de que essa carta consulta esteja aprovada ainda neste ano pelo comitê para que seja enviada à Brasília.

Atualmente, Paranavaí é responsável por 65% de toda produção de fécula de mandioca em todo o Brasil. Uma das vantagens do parque é inovar o que já foi desenvolvido na cultura da mandioca. “Com a chegada do parque poderemos desenvolver novas culturas por meio do amido da mandioca e também melhorar ainda mais os produtos já existentes. Isso enriquece ainda mais a cadeia produtiva, valorizando os produtos locais. Tudo isso proporciona desenvolvimento econômico, geração de mais empregos e renda”, enfatiza Carlos.

Porém, os trabalhos do parque não serão focados apenas na cultura da mandioca. “Temos em Paranavaí diversas culturas. Somos fortes também nas culturas de laranja, milho, cana de açúcar, avicultura, bovinocultura e suinocultura. Com todo nosso potencial e a chegada de novas tecnologias, empresas e investimentos, nossa cidade vai se transformar em um polo de desenvolvimento econômico na área alimentícia”, finaliza o secretário.