Professoras da UEL, Audrey Lonni e Maria Antonia Celligoi (ao centro), junto com as pós-graduandas, Gabrielly Terassi Bersaneti e Briani Bigotto (FOTO: Divulgação/Biotec)

Startup lança hidratante antioxidante e rejuvenescedor com apelo sustentável

Pedro Livoratti (Agência UEL)

A Biotec Ativos, startup instalada na Incubadora Tecnológica da Agência de Inovação (Aintec) da UEL – Universidade Estadual de Londrina – lançou oficialmente este mês o primeiro produto de uma linha de dermocosméticos destinados ao público feminino, que reúne tecnologia e sustentabilidade, com foco no mercado da beleza. O novo produto é um hidratante e primer facial, chamado Biolevan Sérum, devidamente patenteado e desenvolvido com ativos biotecnológicos (levana microbiana) e que traz como características propriedade antioxidante, podendo ser utilizado em qualquer tipo de pele. O produto representa uma inovação tecnológica e será comercializado com exclusividade pela Pharmadelle Farmácia de Manipulação, localizada em Londrina.

Devidamente patenteado, o produto foi desenvolvido com ativos biotecnológicos (levana microbiana). Tem como benefícios propriedade antioxidante (FOTO: Divulgação/Biotec).

Na primeira semana de outubro a Pharmadelle e a Biotec Ativos promoveram um lançamento para apresentar oficialmente o produto ao mercado regional. Uma reunião virtual conseguiu alcançar 40 dermatologistas, que assistiram a apresentação do produto. De acordo com a definição das próprias criadoras, o Biolevan promove efeito preenchedor na pele, ao mesmo tempo em que hidrata e controla a oleosidade. Como efeitos, a consumidora pode ter uma face com aspecto saudável, podendo fixar a maquiagem por tempo prolongado.

Os argumentos apresentados ao mercado vem ao encontro da tendência observada por gigantes do mercado e que começa a chamar a atenção de empresas menores, como a Biotec Ativos, por exemplo. Segundo o provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International, publicado em julho passado, no site da Revista Forbes, o Brasil representa o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo, atrás somente dos Estados Unidos, China e Japão (os dados são de um relatório de 2019, relativos a 2018). De acordo com esse relatório, o varejo brasileiro da beleza movimentou U$S 30 bilhões no ano retrasado.

Mas a pretensão das sócias da Biotec Ativos em entrar na disputa deste concorrido e invejado mercado tem um diferencial bem interessante, a inovação. A startup foi criada pelas professoras Maria Antonia Celligoi (Departamento de Bioquímica e Biotecnologia/CCA) e Audrey Lonni (Departamento de Ciências Farmacêuticas/CCS), com a participação de duas jovens estudantes de pós-graduação, Gabrielly Terassi Bersaneti (pós-doutoranda em Biotecnologia) e Briani Bigotto (mestranda em Ciências Farmacêuticas).

No ano passado o projeto das pesquisadoras foi aprovado junto ao Programa Sinapse da Inovação da Fundação Araucária, iniciativa que teve o objetivo de estimular ações consideradas inovadoras.

Devidamente patenteado, o produto foi desenvolvido com ativos biotecnológicos (levana microbiana). Tem como benefícios propriedade antioxidante.

A professora Maria Antonia afirma que chegar ao desenvolvimento e, posteriormente, à inovação, propriamente dita, só foi possível a partir da junção de expertises. Ela explica que trabalha há cerca de 30 anos com o princípio ativo levana, um exopolissacarídeo que apresenta inúmeras aplicações na área da biotecnologia, e consequentemente com alto potencial de utilização na  indústria farmacêutica, cosmética e alimentícia.

As professoras destacam que o potencial biotecnológico e inovador desse produto despertou o interesse dos proprietários da Pharmadelle, que se responsabilizarão pela comercialização do novo produto, com exclusividade. A professora Audrey explica que o hidrante está sendo produzido por uma indústria tercerista local conforme os padrões rígidos exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

É um lançamento biotecnológico, resultado de décadas de pesquisas.

Elas enfatizam que para o processo de lançamento foi necessário um business plan que contou com a parceria de diversos profissionais de outras áreas. Para chegar ao lançamento deste dermocosmético foi necessário percorrer um longo caminho, que incluiu desde pesquisas científicas com quatro patentes até a comercialização do produto. As empresárias afirmam que trata-se de um produto biotecnológico, fruto de estudos desenvolvidos ao longo de décadas e que tem propriedades biológicas importantes com um grande apelo junto ao público feminino, que deseja uma pele mais bonita e saudável.

Em breve a Biotec Ativos irá lançar dois novos produtos para completar a linha facial de tratamento, sendo Biolevan Água Micelar e Biolevan Loção Tônica.